Entendimento da cadeia de suprimentos; conhecimento sobre o processo de aquisição, recebimento e distribuição de materiais, estes são alguns pontos que você precisa saber para aprimorar a gestão de suprimentos da sua empresa.

Gerir suprimentos pode parecer uma tarefa fácil, porém, requer uma boa organização e disposição de recursos e suprimentos em toda a cadeia produtiva. Além disso, a tarefa pode se agravar se estiver alinhada com alguns problemas que discutimos recentemente no artigo As 5 principais DIFICULDADES do setor metal mecânico em 2020.

Mesmo com esses problemas, algumas empresas acabam contraíndo problemas de gestão, comuns na gestão de suprimentos, mas que podem gerar um grande impacto nos resultados de sua organização. Confira:

 

1 – Logística mal otimizada + organização de processos.

Quando falamos de gestão de suprimentos, basicamente estamos falando sobre logística. Se essa variável de sua produção estiver comprometida, toda a gestão de suprimentos estará fadada ao erro também.

Portanto, uma dica primordial para que esse problema não ocorra é, primeiramente, estruturar toda a cadeia de distribuição dos seus produtos, desde o pedido do cliente, passando até o fornecedor e voltando em forma de produto final.

Assim, organizando esses pontos em uma lógica linear, com começo, meio e fim, você terá maior clareza a respeito dos processos e, claro, conseguirá visualizar onde o problema está ocorrendo e moldar planos táticos para melhor otimizar aquela área.

 

2 – Fornecedores qualificados e bem relacionados

O primeiro passo, é claro, é ter em mãos um fornecedor que seja capaz de distribuir produtos e matérias-prima com ótima qualidade, em um bom prazo de entrega e com um preço acessível e agradável. É claro que pode parecer uma utopia alinhar as três qualidades em um único fornecedor, porém, com pesquisas profundas de mercado e com bons contatos, ele pode ser encontrado.

Além de encontrar um fornecedor com essas qualidades, muitos gestores e/ou responsáveis pela compra dos insumos acabam por criar um mal relacionamento com os fornecedores, prejudicando não só as compras atuais, mas também as negociações futuras.

Portanto, pense em seu fornecedor como sendo um stakeholder que conversa com sua marca, e seu colaborador como um ponto de contato primordial para com os fornecedores de insumos. Ter um olhar cauteloso com relação a esses pontos é, ao final, capacitar bem o funcionário para que haja um bom relacionamento da marca com terceiros, fidelizando e conseguindo melhores condições nas negociações.

 

3 – Assertividade na previsibilidade

Assim como um meteorologista consegue prever os dias em que farão sol e quando as tempestades estão por vir, um gestor de suprimentos deve cumprir o mesmo papel para a situação de seu estoque.

Isso significa que ele deve trabalhar com números e probabilidades, analisando o histórico de compra e consumo de sua empresa e, assim, elaborando um comparativo de dados retroativos com dados do futuro.

Um dos pontos também importantes é a existência de um mercado externo. Isso significa que, analisar e estruturar previsibilidades futuras requer números atualizados de mercado para que não hajam enganações com relação à Market Floating (flutuações de mercado) e preços imprevisíveis.

 

4 – Integração dos processos e setores

 

Como já conversamos no artigo anterior sobre as principais dificuldades do setor metal mecânico, o primeiro ponto discutido foi a falta de comunicação entre setores. Esse networking defasado faz com que não seja possível enxergar a totalidade da empresa como sendo parte de um processo primordial e único.

É claro que uma empresa é formada por diversos setores com diversas funções diferentes. Você nunca verá, por exemplo, o setor financeiro operando uma empilhadeira. Mas, apesar de estarem em funções diferentes em seus campos de atuação, todos estão ali por um mesmo propósito, e este deve estar claro na cabeça de todas as peças desse xadrez para que a qualidade do produto final e dentro dos processos esteja garantida e dentro dos padrões da empresa.

 

5 – Utilizar a ferramenta adequada

Para contornar e solucionar quase que por total os problemas da gestão de suprimentos, investir em um software capaz de integrar todas essas funções é essencial em seu esquema estratégico.

Softwares como o Gestor Fácil, por exemplo, entregam uma capacidade de gestão em tempo real, priorizando a união dos setores e dos elementos que compõem a organização.

Além disso, quando estamos falando de suprimentos e insumos, controlar as entradas e saídas da empresa é uma tarefa que não pode cair no esquecimento, caso contrário, pode agravar ainda mais o relacionamento com os fornecedores e a entrega dos produtos finais com relação ao prazo e qualidade prevista.

 

Quer conhecer mais sobre o Gestor Fácil e ver como é fácil integrá-lo em sua empresa? Clique aqui e fale com um de nossos especialistas!