No artigo “O que é planejamento e controle da manutenção (PCM)?” conversamos sobre como os processos de produção de uma empresa precisam de um Planejamento de Controle de Manutenção.

Além disso, falamos detalhadamente sobre cada tipo de PCM, do que se tratam, para que servem e como cada um deles se comportam. Neste artigo, portanto, separamos 5 dicas para que você comece a aplicar agora mesmo o PCM com Maestria, englobando desde uma boa coleta de dados até verificações e controles de qualidade nos processos. Confira!

O PCM, portanto, deve ser encarado como um aliado à gestão do negócio, isso porque, sem ele o funcionamento correto dos processos e dos equipamentos não acontecerá como esperado e/ou planejado.

 

1 – Emita Ordens de Serviço

Ordens de serviço podem parecer simples, mas, é através da emissão dessa ferramenta que podemos mensurar diversos elementos, sendo fundamental para o acompanhamento do andamento dos trabalhos e servindo como base de dados para as manutenções futuras. 

 

2 – Colete Dados de qualidade

Para que o Plano e Controle de Manutenção seja eficiente, processos devem ser baseados em dados concretos dos processos de produção que são provenientes das Ordens de Serviço emitidas.

Através delas é possível extrair estatísticas que comprovam a eficácia dos equipamentos e que possibilitam a tomada de decisão das técnicas de otimização que serão implementadas.

 

3 – Faça um tratamento de dados eficiente

Muitos dos dados coletados necessitam de um tratamento, que nada mais é do que uma organização dos indicadores de desempenho, como por exemplo: horas trabalhadas, quantidades de ordens de serviço, custo com materiais de manutenção, custo com mão de obra para manutenção, tempo gasto em atendimento e o tempo que as máquinas ficaram paradas para que a manutenção ocorresse.

 

4 – Elabore Planos de Manutenção

Como conversamos no artigo anterior, as manutenções preditivas e preventivas são processos que devem andar juntos. É de extrema importância, portanto, elaborar um plano que avalie o estado de conservação atual das máquinas, como temperatura, por exemplo, e posteriormente levantar probabilidades de data para que as manutenções preventivas ocorram, evitando assim problemas futuros com engasgues na produção.

 

5 – Tenha um bom ERP em mãos

Para que todo o planejamento aconteça de forma harmoniosa, a catalogação dos dados que demonstram o que ocorrem nos processos é um ponto necessário e indispensável. 

Com a base de dados entregue pelo GestorFácil sobre suas máquinas e processos, a aplicação do Planejamento e Controle de Manutenção será muito mais eficaz e pautada em referências concretas, garantindo assim eficiência e qualidade para sua produção.

 

Fale com a gente e conheça agora o GestorFácil!